Voltar

Quick Fire: Honorato Hambúrgueres Artesanais

04 Abril, 2013 11:27 | Luis Antunes

Mais um almoço tardio, desta vez decidi investigar uma informação que me chegou por word-of-mouth, que se faziam os melhores hambúrgueres de Lisboa ali para a zona da Praça das Flores.


Desci do Príncipe Real, parei o carro e perguntei. Disseram-me logo é já aí à esquina.


Lugar discreto, engradado, lá dentro com várias zonas de diferentes luminosidades, balcão, mesas altas e baixas, outra zona elevada com muita luz. Numa e noutra, caixas de madeira com abundantes produtos frescos, limões, limas, gengibre, tomates, batatas, numa afirmação de brilho, cor e principalmente de postura. Quadros negros escritos a giz com ementa e lucubrações variadas sobre o tema restaurativo. Falando com um mocito que descascava batatas ao balcão (actividade muy nobre que dá sempre gosto ver num restaurante que sirva batatas fritas) aprendi bastante mais.


Que o lugar está aberto há já seis meses (mas pelos vistos foi transferido de um outro local próximo), e que o honorável Honorato já não será o único dono, pelo menos isto, e talvez se encare uma possibilidade de expansão (franchise?). Aprendi ainda que a carne é o mais fresca possível, exclusivamente de vaca, e inclui vazia, pojadouro, acém e coração. Perguntando qual o melhor hambúrguer a resposta do balcão foi unânime: picanha (incluindo maionese, tomate e queijo gorgonzola). pedi para substituir o gorgonzola por cheddar e acrescentar bacon, a primeira custou 0, a segunda uns poucos cêntimos. Tudo certo.


Perguntei então se sempre era verdade que eram os melhores hambúrgueres de Lisboa, e reforcei que já tinha provado uns quantos candidatos, que tenho em casa mini-especialistas no assunto, e que ainda havia mais casas novas da cidade a reivindicar estatuto. A resposta pareceu-me honesta, entre um "nós gostamos/nós achamos que o nosso é sempre melhor" e um "cada um que diga a sua opinião/é mais marketing." Mesmo que as palavras não tenham sido exactamente estas, é de louvar a atitude anti-"a galinha da vizinha é mais gorda do que a minha."


Comendo ao balcão ainda deu para lamentar a pouca gengibrização da limonada, logo de imediato reparada para incluir muito mais spice. Deu também para espreitar para a cozinha, para perceber que os pães altos e macios são cortados em três fatias, com o tomate e maionese na ranhura de baixo, e a carne e restantes adereços na de cima. Uma boa ideia que nas saladas mais frágeis as poupará ao cozimento por contacto.


E o assunto? Carne muito boa e muito bem temperada, frita num pouco de banha de porco, um nada de sal a mais em algumas zonas, desculpável, até porque se queremos combater o apelo da doçura das grandes cadeias, o sabor mais apelativo a seguir ao açúcar é provavelmente o sal (pergunte-se a um bebé que não fale e ele dará logo a resposta). Interior mal passado, a deixar o sabor da carne aparecer em esplendor, queijo e bacon saborosos e bem feitos, tomate muito saboroso a dar um inusitado brilho ao sanduíche. Definitivamente aprovado!


Batatas fritas caseiras, como se previa, já um pouco frias, mas tão boas como as da nossa casa, ou seja, à moda antiga, não perfeitas, mas absolutamente sedutoras. (Mesmo em casa, perfeitas são só aquelas roubadas à saída da frigideira, qualquer espera as castiga.) Maionese caseira, para ir picando com as batatas.


Segundo me contam, a partir das 18h é um corropio, com agravante de quinta-feira a domingo. Há poucas bebidas, mas a limonada com gengibre era excepcional, há cerveja e até vinho branco e tinto, e vi copos bem razoáveis para o servir.


Em resumo, um conceito novo, onde talvez a criatividade dos hambúrgueres pudesse ir um pouco mais longe, mas essa pecha é largamente compensada com muito carinho em cada detalhe do prato que nos põem à frente. O preço se não é muito barato (desde pão e carne a €4,50 até picanha a €7,95, incluindo sanduíche e batatas fritas) também não castiga muito, e vale largamente a diferença para as opções mais industriais, incluindo o h3. Para lanchinho os hambúrgueres existem em versão mini, a metade do preço.


Melhor de Lisboa? Para saber isso tenho que continuar a provar! Este trabalho é infindável.


Detalhes:



  • Restaurante Honorato

  • Rua da palmeira nº33-A, 1200-050 Lisboa, Portugal

  • Telefone: 21 346 02 48

  • Horário: todos os dias do meio-dia à meia-noite

Escrever novo comentário
0 Comentário(s)
Explore
© 2016 Revista de Vinhos
Todos os direitos reservados. Política de Privacidade
Media Capital Edições e Prisa Revistas

Ao navegar neste site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informaçõesAceitar

Os cookies são importantes para o correto funcionamento de um site. Para melhorar a sua experiência, o site Revista de Vinhos utiliza cookies para lembrar detalhes de início de sessão, recolher estatísticas para optimizar a funcionalidade do site e apresentar conteúdo de acordo com os seus interesses. Caso clique em Aceitar ou se continuar a utilizar este site sem alterar as suas configurações de cookies, está a consentir com a utilização dos mesmos durante a sua navegação no nosso site.

Fechar