Avesso

Uma casta que resiste

 
Partilhar

{ Aromas tropicais, laranja e pêssego }

 

Como casta, a Avesso não poderia ser mais explícita. O próprio nome encarrega-se de indicar a sua personalidade vincada e problemática. É verdade, a casta Avesso gosta mesmo de ser difícil, hostil, de cismas, do contra…do avesso. Nasceu da região do Vinho Verde e é nesta região que frutifica e prospera. É uma casta regional, na definição mais peremptória e particular do termo. Tão regional e local que hoje quase se circunscreve à sub-região de Baião, na confluência com a região do Douro. É aqui que prospera e só aqui que perdura. Como casta particular que é, ao avesso das restantes castas da denominação Vinho Verde, dá origem a vinhos bem maduros, com forte potencial alcoólico que, em muitos casos, superam os valores máximos preconizados para a denominação de origem.

Simultaneamente uma vantagem e um problema. É uma casta vigorosa e produtiva que aprecia os afloramentos graníticos dos solos da sub-região do Baião. Há quem a adore e quem a devote a um profundo desprezo. Já esteve em sério declínio na região, já foi casta perversa, mas hoje existe um revivalismo em seu torno, uma vontade expressa em descobrir-lhe os segredos, em desvendar-lhe o potencial. Sobretudo porque dela podem resultar vinhos mais sérios e complexos que o padrão na região, vinhos mais aveludados, mais volumosos e suaves, vinhos potencialmente apelativos a uma larga franja de enófilos.

Mas, claro, nem tudo é um mar de rosas com a Avesso. É extremamente sensível à oxidação, revela alguma falta de acidez e, consequentemente, de frescura. Aromaticamente não é particularmente expressiva mantendo um anonimato que pode ser incomodativo. Nos melhores exemplos, assume algum carácter de fruta tropical, de laranja e pêssego, por vezes, embora raramente, algumas indicações de frutos secos. Funciona especialmente bem quando loteada com Arinto e/ou Trajadura e Loureiro, castas que lhe acrescentam frescura e riqueza aromática. 

 

Quer experimentar?

Recomendamos dois exemplos de vinhos verdes da sub-região de Baião, dois figurinos elucidativos das virtudes da casta. O primeiro vinho, na versão extreme, é o Quinta do Ferro Avesso, um bom modelo da conduta levemente tropical da casta. O segundo vinho, o Paço do Teixeiró, espelha na perfeição a untuosidade da casta Avesso associada à expressividade da casta Trajadura, apontando para a bondade da casta no lote.

- Quinta do Ferro Avesso 2007
- Paço do Teixeiró 2007

Partilhar
Voltar