Beber

Rufete

De origens desconhecidas, a casta Rufete encontra-se presente sobretudo no interior norte, mantendo-se especialmente popular na Beira Interior, região a que se adaptou singularmente bem.

Beber

Jaen

Foi um dos maiores mistérios da viticultura portuguesa. O nome espanholado, coadjuvado por outra das sinonímias empregues, Jaen Galego, já poderia indiciar fundamentos para uma indicação das origens mas, durante anos e apesar das suspeitas, ninguém lhe conseguiu adivinhar a paternidade. 

Beber

Fernão Pires

Trata-se da casta branca mais plantada em Portugal e ocupa uma mancha regular ao longo do país, embora seja nas regiões do Ribatejo e da Bairrada que assume maior protagonismo e maioridade. 

Beber

Castelão

Durante anos foi ovacionada sob o nome Periquita, apesar de este, legalmente, não ser aceite. Com a presente designação oficial Castelão, esta casta já mereceu muitos outros apelidos, entre os quais Castelão Francês.

Beber

Bical

A casta Bical encontra-se disseminada especialmente pela região das Beiras, particularmente nas denominações Bairrada e Dão. Marca igualmente presença assídua em Varosa e, embora menos continuamente, na Estremadura e Alto Alentejo.

Beber

Baga

Poucas castas têm a particularidade tão irritante de serem capazes de dar corpo a alguns dos melhores e piores vinhos de Portugal. Amada e detestada, é uma casta de extremos, uma casta difícil, uma casta caprichosa, a responsável maior pelos vinhos da Bairrada.

Beber

Avesso

Como casta, a Avesso não poderia ser mais explícita. O próprio nome encarrega-se de indicar a sua personalidade vincada e problemática. É verdade, a casta Avesso gosta mesmo de ser difícil, hostil, de cismas, do contra…do avesso.

Beber

Arinto

A Arinto está presente na maioria das regiões vitícolas portuguesas, como o comprova a vasta gama de sinonímias aplicadas a esta casta branca. O nome Pedernã sobressai, enquanto designação oficial da casta na região do Vinho Verde.

Beber

Antão Vaz

Pouco se sabe sobre as origens da casta Antão Vaz. Apesar da aura misteriosa que a rodeia, uma coisa se conhece: a sua filiação alentejana. E também que viajou pouco.

Beber

Alvarinho

É a principal estrela do Minho, uma das grandes castas portuguesas, celebridade incontestada das castas brancas portuguesas… apesar de a sua paternidade ser reclamada, com igual veemência, por minhotos e galegos.

Beber

Alfrocheiro

A fraca variabilidade genética insinua que a casta será de génese recente, ou pelo menos de manifestação recente em Portugal. Não se lhe conhece parentesco estrangeiro ou origens nacionais, apesar de em tempos ter sido conhecida pela designação “Tinta Francesa de Viseu”.

Beber

Garnacha

Apesar de a casta ser mais conhecida pelo nome que adotou na França, Grenache, é de origem espanhola, sendo por isso mais correto usar a denominação original, Garnacha.