Symington declara segundo ano consecutivo de Vintage

Fotografia: Fotos D.R.
Partilhar
Redação

Redação

Porto Vintage 2017 resulta da vindima mais precoce de que há registo, cujos volumes reduzidos vão limitar a oferta en primeur.

 

A família Symington acaba de anunciar o ano de 2017 como Porto Vintage, que assinala a primeira declaração geral de dois Vintage consecutivos na história da família, desde que Andrew James Symington chegou ao Porto em 1882. O anúncio — apenas a 6.ª declaração Vintage do século XXI — fecha um período de intenso debate dentro do setor sobre se 2017 justificaria uma plena declaração, uma vez que a qualidade do elogiado 2016 elevou muito a fasquia, e pelo facto de as declarações Vintage serem muito raras. A primeira declaração de sempre de dois anos seguidos pela família Symington é um momento marcante na sua longa história e resulta de dois anos sucessivos muito diferentes, mas de elevadíssima qualidade para vinho do Porto.

Os vinhos de 2017 resultam de um ciclo da vinha adiantado que culminou na vindima mais precoce no percurso de 137 anos da família Symington como produtores de vinho do Porto. Um ano bastante mais quente e seco do que o normal deu origem a bagos compactos em excelentes condições, com produções entre as mais baixas deste século — 20% inferiores à média da última década. Apesar da vindima ter arrancado em agosto, as maturações apresentavam-se muito equilibradas, o que resultou em vinhos caracterizados por intensidade, concentração e estrutura extraordinárias, conjugado com aromas e frescura notáveis. Os Symington produziram Portos Vintage 2017 a partir das suas principais quintas do Douro e irão brevemente colocar no mercado quantidades muito limitadas de Graham’s, Dow’s, Warre’s e Quinta do Vesúvio, além de Graham’s “Stone Terraces” e Capela da Quinta do Vesúvio (2017 será apenas a quarta edição destes dois últimos vinhos, produzidos unicamente em anos verdadeiramente excecionais).

Dadas as produções muito baixas, o Porto Vintage 2017 é, em quantidade, a mais “pequena” declaração Symington do século XXI, com os volumes en primeur cerca de um terço abaixo do 2016. Condições de 2017 muito similares ao ano incontornável de 1945 As condições muito particulares sentidas ao longo de 2017 têm semelhanças surpreendentes com os dados climáticos de 1945, que reúne consenso como um dos anos que produziu um dos melhores Porto Vintage de sempre. 2017 e 1945 tiveram ambos ciclos de crescimento adiantados, com muito pouca chuva, mas com temperaturas de verão menos extremas a mitigar a seca. As vindimas nos dois anos foram igualmente muito adiantadas, caracterizadas por produções muito baixas, mas com uvas em excelentes condições. A família Symington apresentará os seus Portos Vintage 2017 primeiro em Portugal, num evento de lançamento no dia 11 de abril, ao qual se seguem o Reino Unido e os Estados Unidos da América em maio, estando prevista a apresentação noutros países ao longo do ano.

Charles Symington, enólogo principal da Symington Family Estates, mostrou-se impressionado com os vinhos de 2017: “Nos meus 25 anos como enólogo na nossa empresa familiar, nunca vi um ano como este. As produções foram muito baixas, mas a intensidade, concentração e estrutura foram de cortar a respiração. Produzimos vinhos muito bons”.

Já Johnny Symington, Chairman da Symington Family Estates, enalteceu os motivos que conduziram a esta decisão inédita: “Poucas regiões de vinhos do mundo restringem as produções de vinhos de topo com o mesmo grau de exigência que seguimos no Douro, e a decisão de declarar Portos Vintage em dois anos consecutivos não foi tomada de ânimo leve. Contudo, estes dois anos excecionais produziram vinhos de qualidade tão elevada que tornou incontornável esta decisão histórica”.

A prova à imprensa destes vinhos vai acontecer na próxima quinta-feira, dia 11.

Partilhar
Voltar