Quinta do Regueiro - A simplicidade premiada

Fotografia: Daniel Luciano
José João Santos

José João Santos

Chega a ser desarmante a simplicidade de Paulo Cerdeira Rodrigues, o rosto da Quinta do Regueiro. Autêntico papa-prémios nos últimos anos, tem visto os vinhos que elabora reconhecidos em diferentes dimensões, dentro e fora do país.

 


Leva 20 anos enquanto produtor engarrafador. Convenceu os pais – e emociona-se sempre que os recorda – a deixá-lo trocar a escola pela terra. A custo foi abrindo portas e desbravando terrenos, até ter percebido que aportava ao mercado do Alvarinho um novo entendimento. De facto, os Alvarinhos a que nos habituou, com consultoria enológica de Jorge Sousa Pinto, têm um perfil muitas vezes mais cru, onde a perceção de acidez é vincada, uma austeridade transversal que tem fidelizado públicos.


Possui 14 hectares de vinha própria, as cepas mais antigas com 35 anos, a idade média em torno dos 22 anos. Das 150.000 garrafas de produção anual, metade é ainda do lote mais comercial Alvarinho/Trajadura, mas nos estremes de Alvarinho tem conseguido inovar. O Jurássico, vinho não datado que reúne sempre três lotes de vindimas distintas de Alvarinho, é um vinho desconcertante, senhor de uma eletricidade apreciável e nobreza de registar. Nesta incursão provamos, cuba a cuba, diferentes bases que originarão os próximos Jurássicos.


Na adega, as cubas de inox de média, pequena e micro dimensões continuam a ser maioritárias. As barricas usadas, de 300 e 600 litros, são já sete, um dos sinais do crescimento do projeto. O edifício em si está agora renovado, possuindo as condições necessárias para acolher bem quem chega.
“É o culminar de um sonho, uma adega com dignidade para receber pessoas”, desabafa Paulo Cerdeira Rodrigues.

Quinta Do Regueiro
Alvaredo, Melgaço
T. +351 966 854 542 / comercial@quintadoregueiro.com