×
image

Da província para a cidade

Fotografia: Fotos D.R.
Redação

Redação

Da província vêm as histórias de quem todos os dias cultiva a terra; da província viajam os melhores legumes; da província chega o cheiro ao fogo e à grelha onde se cozinham lentamente os ingredientes da estação. É este o ambiente rural que está na origem do PROVINCIA, o novo restaurante do grupo Non Basta que abre no centro de Lisboa, mas tem as suas raízes na “terra”.


Depois de três restaurantes assentes nas bases mais tradicionais da cozinha italiana (Memoria e Pasta Non Basta Avenidas e Alvalade), o PROVINCIA marca um ponto de viragem na história do grupo: a matriz italiana continua presente, mas há agora uma maior liberdade para deixar de lado o livro de receitas tradicionais e dar largas à criatividade.

As dicotomias província-cidade e rural-urbano estão também por trás da campanha de abertura e do conceito visual idealizados pelo Clube Recriativo e do projeto de interiores idealizado pela arquiteta Inês Moura, igualmente responsável pelo desenho de interiores do Memoria. A ideia de viagem, de sair da cidade para comer na província, inspirou a criação de “ilhas” que dominam o espaço através de jogos de volume e altura.

Num constante encontro entre a tradição e a modernidade, imperam os materiais tipicamente portugueses, como a pedra e a madeira, e adorna-se a estante com antiguidades, terrinas, garrafas de cristal ou livros antigos. A utilização de azulejos desenhados à mão ou a escolha do azul e do branco em homenagem às casas caiadas da província são outros “detalhes” que compõem um espaço contemporâneo e cosmopolita que nunca renega as suas heranças.

Além da cozinha, outro dos centros nevrálgicos do PROVINCIA é o bar, que ocupa um lugar de destaque tanto do ponto de vista físico como de conceito. Uma das grandes apostas são os vinhos, numa carta que conta com mais de 40 referências de tintos, brancos, rosés e espumantes, maioritariamente portuguesas e italianas (mas também da Áustria ou França) e incluindo opções biológicas e não filtradas.

Entre os cocktails, não faltam os habituais clássicos, mas também há lugar para abordagens mais criativas: todos os meses são desenvolvidas novas criações tendo como base um sabor diferente e sazonal (em novembro será a romã). O menu de bar é ainda complementado com aperitivos, digestivos e licores italianos e nacionais.