Beber

Arinto, a ácida

Em 2012, numa prova didática promovida pela Real Companhia Velha, em Vila Nova de Gaia, foram apresentadas, pela equipa da chamada Fine Wine Division, amostras de vinificações por casta, algumas das quais estiveram na origem de vinhos experimentais que redundaram na criação da gama Series daquela empresa.

Beber

Rufete, velha casta dos novos dias

Presente sobretudo no interior norte do país, entre as regiões de Trás-os-Montes, Douro, Dão e Beira Interior, talvez em nenhum outro momento histórico a variedade Rufete tenha encontrado melhor altura para responder às necessidades dos produtores face às atuais dinâmicas de mercado.

Beber

Avesso

Variedade autóctone da região dos Vinhos Verdes, a casta Avesso tem habitat tradicional na sub-região de Baião (Baião, Cinfães e Resende, no limite com a região do Douro, aqui delimitada pelo rio Teixeira).

Beber

Viosinho

A casta Viosinho faz parte de um conjunto de variedades de origem nortenha, presente sobretudo nas regiões do Douro e de Trás-os-Montes, que formam um lote ganhador, quer na produção de vinhos brancos tranquilos, quer Vinhos do Porto brancos. 

Beber

Ramisco

Poucas castas estão tão intrinsecamente associadas a um território como a variedade Ramisco o está a Colares.

Beber

Encruzado

Variedade branca autóctone do Dão, a Encruzado caracteriza-se por dar origem a vinhos sérios e estruturados, untuosos e de extraordinária capacidade de guarda.

Beber

Touriga Franca

Cruzamento das variedades Touriga Nacional e Marufo, é já a segunda casta mais plantada em Portugal, pois representa 7% do encepamento, com 13.445 hectares. Ao contrário do que a designação original Touriga Francesa possa sugerir, é uma casta bem portuguesa, nascida da necessidade de encontrar uma variedade que, no séc. XIX, fosse capaz de ultrapassar a dizimação provocada pela filoxera, sobretudo no Douro.

Beber

Bastardo

É, sobretudo, a norte de Portugal, entre o Douro e Trás-os-Montes, mas com presença em outras regiões do país, como a Beira Interior, que uma casta muito especial medra e desenvolve todo o seu potencial como uva para vinhos de mesa e, no caso do Douro, generosos.

Beber

Jaen

Foi um dos maiores mistérios da viticultura portuguesa. O nome espanholado, coadjuvado por outra das sinonímias empregues, Jaen Galego, já poderia indiciar fundamentos para uma indicação das origens mas, durante anos e apesar das suspeitas, ninguém lhe conseguiu adivinhar a paternidade. 

Beber

Fernão Pires

Trata-se da casta branca mais plantada em Portugal e ocupa uma mancha regular ao longo do país, embora seja nas regiões do Ribatejo e da Bairrada que assume maior protagonismo e maioridade. 

Beber

Castelão

Durante anos foi ovacionada sob o nome Periquita, apesar de este, legalmente, não ser aceite. Com a presente designação oficial Castelão, esta casta já mereceu muitos outros apelidos, entre os quais Castelão Francês.

Beber

Bical

A casta Bical encontra-se disseminada especialmente pela região das Beiras, particularmente nas denominações Bairrada e Dão. Marca igualmente presença assídua em Varosa e, embora menos continuamente, na Estremadura e Alto Alentejo.