Beber

Santa Vitória

“A propriedade vai até onde a vista alcança!”, dizem-nos numa pequena elevação que permite olhar ao redor, em 360º.

Beber

Casa de Vilacetinho: As várias faces da Avesso

Uma dívida de monges beneditinos, um matrimónio fora dos cânones sociais, o primeiro ‘château’ dos vinhos verdes. A Casa de Vilacetinho tem um longo percurso e muitas histórias para contar.

Beber

Dez anos de Mirabilis

São vinhos sofisticados, de grande precisão, quase irrepreensíveis, com muito equilíbrio e enorme capacidade de envelhecimento, assumidamente inspirados no “saber fazer” das regiões francesas de Bordéus e Borgonha.

Beber

Herdade da Lisboa

O patriarca da família Cardoso, João, guia o carro por entre as vinhas da Herdade da Lisboa e mostra com orgulho os talhões de cada casta.

Beber

Quinta de Curvos

A Quinta de Curvos é uma joia escondida no seio da região dos Vinhos Verdes, conhecida apenas de alguns privilegiados que a visitaram.

Beber

Uns teimosos de Coimbra

Arnaldo Baptista. Eis o “teimoso” de Coimbra. Assim é apresentado pelo filho, Pedro Baptista, hoje nos destinos da muito conhecida cerveja Praxis.

Beber

Hopsin: Boa vizinhança

A sabedoria do povo aconselha-nos a “fugir do mau vizinho e do excesso de vinho”. O provérbio popular não podia ser mais adequado a estes vizinhos. De um lado da rua, uma das mais antigas – se não mesmo a mais antiga – adega cooperativa do país; do outro, um produtor de cerveja artesanal. Não só parecem ser bons vizinhos como até produzem em conjunto (e sem excessos). O resultado da boa vizinhança foi, para já, a Wheat Wine Grape Ale, uma cerveja colaborativa feita com mosto de uva da casta Malvasia de Colares.

Beber

Areias Gordas: vinhos que desafiam o tempo 

Mais Tejo impossível, com as vinhas mesmo às margens do grande rio. Vinhos totalmente únicos no seu perfil. Certamente dos mais emocionantes na região, ainda que completamente desconhecidos da maioria. Por enquanto…

Beber

Ninho da Pita: Alfândega da Fé no mapa

A simpática e antiga vila de Alfândega da Fé, no distrito de Bragança, para além dos olivais, cerejeiras e amendoeiras espalhados por seus espectaculares vales e montes, quer voltar a ser terra de vinhos.

Beber

ManzWine

A meio caminho entre Mafra e Sintra, pela N9, envoltos pela profusa paisagem campestre, chegamos a Cheleiros e descemos até ao rio Lizandro, que se atravessa por uma pequena ponte. De repente vemo-nos transportados para outra era. Hoje é uma pequena aldeia, mas no passado Cheleiros era local importante. Ostenta mesmo um dos primeiros forais portugueses. “Já na altura de D. Sancho I recebeu foral ao mesmo tempo que Sintra e Lisboa. Cheleiros era uma vila mesmo muito importante, tanto que chegou a ter três pelourinhos!”, conta André Manz. Este brasileiro de origem húngara, mais do que dono ou administrador, é o criador da ManzWine. Veio para o nosso país nos anos 80 para abrir o mundo das aulas de grupo em negócios ligados à indústria do fitness.