Bical

Suavidade e frescura

 
Partilhar

{ Aromas a pêssego, alperce e fruta tropical }

 

A casta Bical encontra-se disseminada especialmente pela região das Beiras, particularmente nas denominações Bairrada e Dão. Marca igualmente presença assídua em Varosa e, embora menos continuamente, na Estremadura e Alto Alentejo. No Dão é mais conhecida como Borrado das Moscas devido às pequenas manchas castanhas que surgem nos bagos maduros. No Ribatejo e Alentejo é conhecida pelo nome Arinto de Alcobaça e, na Estremadura, por Pintado dos Pardais.

É uma casta especialmente temporã, amadurecendo cedo, não sendo invulgares maturações perfeitas no final de Agosto. Consequentemente é uma casta de elevado potencial alcoólico embora, por vezes, levemente deficitária na acidez. Como tal é tradicionalmente temperada com castas de elevada acidez natural, especialmente com o Arinto e/ou Cercial. Já foi considerada uma casta fresca mas indistinta, como base adequada para a espumantização simples… e pouco mais.

Na época da revolução tecnológica na Bairrada, no final dos anos 90, com o advento da enologia moderna, foi possível conhecer e reconhecer as muitas qualidades da casta Bical. Transformou-se assim, por mérito próprio, numa das castas brancas mais promissoras e de maior potencial qualitativo em Portugal. Apesar de muito resistente à podridão é sensível ao oídio. Os vinhos produzidos pela casta Bical são especialmente macios e aromáticos, frescos e bem estruturados.

As notas de pêssego e alperce são as mais distintivas, acompanhadas, nos anos mais maduros, por discretas e sensuais notas de fruta tropical. Com a idade, os melhores exemplares ganham suaves notas apetroladas, não muito distantes das sensações transmitidas pela casta Riesling. A casta apresenta excelentes resultados quando estagiada em barricas de carvalho novo, sobretudo quando em contacto com as borras. Porque são tão poucos os produtores a apostar nesta casta nacional é um dos maiores mistérios da viticultura portuguesa. Aparentemente, as atenções estão viradas para castas mais mediáticas e de nome mais vendável.

 

Quer experimentar?

O leque de escolhas, apesar de não ser extenso, permite-nos propor vinhos especialmente interessantes, tanto na versão tranquila como na versão espumantizada. São dois os vinhos que recomendamos este mês. O primeiro, um lote de Bical e Baga, espelha bem o potencial aromático da casta Bical. O segundo, um dos raros vinhos extremes da casta Bical, é já um clássico, exemplo perfeito da bondade da associação entre Bical e o estágio em madeira.

- Ensaios FP 3b Bruto 2007
- Luis Pato Vinha Formal 2007

Partilhar
Voltar