Escolher vinhos no supermercado

Fotografia: Ricardo Garrido
Partilhar
Nuno Guedes Vaz Pires

Nuno Guedes Vaz Pires

Diga-se o que se disser, a mais pura das verdades é que a esmagadora maioria dos consumidores adquire vinhos nas prateleiras dos supermercados. Vários fatores contribuem certamente para essa opção, entre eles, a maximização do escasso tempo disponível para compras no corre-corre do quotidiano, a comodidade de um local que concentra vários produtos (vinhos incluídos), a facilidade de estacionamento que regra geral está associada aos principais super e hipermercados, sem esquecer, claro, as imbatíveis campanhas promocionais – em desconto direto, com desconto em “cartão” ou enquanto acumulação de pontos.

Sublinhando este último e decisivo aspeto, importa perceber o real impacto que a campanha promocional de um vinho ou grupo de vinhos acaba por gerar. Seja através de um folheto que nos é depositado na caixa postal, de uma mensagem de correio eletrónico ou de telemóvel, sempre que o preço de um determinado vinho nos agrada o apelo para o ir resgatar ao tal supermercado é quase imediato.

Mas, neste mundo tantas vezes precipitado, importa ter alguma cabeça fria e capacidade de discernimento diante de uma prateleira de supermercado. É comum o barato sair caro e a ilusão dar lugar à desilusão. Eis cinco sugestões a ter em conta na escolha de vinhos no supermercado:

 

1

Acompanhe-se sempre do folheto, email ou sms que divulga determinada campanha; por vezes, o que é difundido nem sempre está devidamente atualizado no ponto de venda.

2

Não fique admirado se aquele vinho que estava convencidinho que iria adquirir estiver indisponível. Ou terá entretanto esgotado ou ainda será reposto. Na dúvida, questione o funcionário responsável pela seção de bebidas e fique atento às datas das ditas campanhas. Observe com atenção o stock existente, até porque
poderá encontrar outros excelentes negócios.

3

Preste muita atenção ao ano de colheita da referência que pensa adquirir. Muitas vezes, as colheitas mais antigas surgem nas primeiras e segundas linhas das prateleiras, estando as mais recentes ao fundo. É uma estratégia inteligente de escoamento de produtos por quem vende, mas no caso de vinhos para o dia a dia é uma pequena ratoeira para o consumidor, que beneficiará sempre ao optar pelas colheitas mais próximas. E não se esqueça de transmitir essa mensagem a terceiros, no caso de pedir a alguém para efetuar as referidas compras.

4

Um guia de bolso ou até uma aplicação de telemóvel (e são hoje cada vez mais as “app” disponíveis) poderão ser instrumentos preciosos para o ajudar na escolha, se estiver a navegar às escuras ou a sentir-se indeciso. Infelizmente, pedir o aconselhamento aos funcionários resulta quase sempre em pouco mais que nada.

5

Compare preços. Nem sempre o valor de um vinho em promoção é entusiasmante ao ponto de preterir um outro rótulo, de qualidade superior. Há diferenças de preços que manifestamente não compensam. Lembre-se: um vinho menos bom pode prejudicar um momento; um bom vinho ajuda qualquer momento a revelar-se ainda mais memorável.

Partilhar
Voltar