Café Progresso comprado por José Avillez

Fotografia: Fotos D.R.
Partilhar
Luís Alves

Luís Alves

Espaço inaugurado em 1899, conhecido por ser o “o café mais antigo do Porto”, passa a fazer parte do grupo do conhecido chef.

 

Depois das notícias que deram conta do fecho do renovado Café Progresso, na Baixa do Porto, no final de 2018, sabe-se agora o futuro deste espaço icónico. O café mais antigo do Porto vai chamar-se Cafeína Downtown e é a última compra do chef José Avillez na cidade do Porto, avança o Jornal de Negócios.

No verão passado, José Avillez comprou a maioria do capital do grupo Cafeína, detido pelo empresário Vasco Mourão, onde se incluem restaurantes como o Terra, Portarossa, Casa Vasco, Panca e o próprio Cafeína.

O Café Progresso tem uma história de décadas que marcou a cidade do Porto. Inaugurado em 1899, ficou célebre o café de saco, vendido durante os quase 120 anos de existência, os cafés expresso tirados pelas míticas máquinas ‘La Cimbali’ e também as torradas.

No verão de 2017, o Café Progresso foi vendido aos empresários Diogo Baptista, Artur Ribeiro e Pedro Sá Pereira. Depois, foi feita uma remodelação e nova abertura. No final do ano 2018, o café fechou portas e os rumores sobre um novo proprietário começaram a surgir.

O desaparecimento do nome ‘Café Progresso’ é desvalorizado por Vasco Mourão, empresário que detém parte do grupo Cafeína. “O facto de se apresentar como o café mais antigo da cidade é apenas um slogan, pois há muito tempo que não apresentava características da sua história”, afirmou o empresário, em declarações ao Jornal de Negócios.

O Cafeína Downtown será uma réplica do conceito do restaurante Cafeína, na Foz. A abertura está prevista para o próximo verão e vai criar vinte postos de trabalho.

Partilhar
Voltar