Jantar 'às cegas' no restaurante Burro Velho

Fotografia: Fotos D.R.
Partilhar

Uma experiência sensorial, social e humana, arredada de luz. A ideia é "vestir a pele" de uma pessoa cega e a ementa é desconhecida para que os sentidos possam estar bem apurados. 

 

 

Um jantar a quatro sentidos com sabores, aromas e sons mais apurados. O repasto está marcado para o 'Burro Velho', restaurante de meças, nas imediações do Mosteiro da Batalha, e neste jantar 'às cegas', todos, incluindo o enólogo, são convidados a alimentar-se de olhos vendados, de forma a ser sensibilizada para a vida quotidiana de pessoas com necessidades especiais. Este jantar conta com o apoio da Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual, que tem como principal resposta social a Educação de Cães-guia para Cegos. Neste jantar vamos ter a presença de quatro pessoas cegas e do Presidente da Associação ABAADV, o Dr. João Fonseca.
 
“Confiança absoluta” é quanto baste para desfrutar de um jantar servido às escuras, diz o enólogo Carlos Lucas, que também irá estar às cegas. Esta é uma iniciativa que terá lugar a 13 de abril e que procura “sensibilizar a comunidade para aquilo que é uma necessidade básica e humana que é ver”, acrescenta Carlos Lucas. O enólogo esclarece que “as pessoas, ditas normais, serão colocadas numa sala de olhos vendados, para perceberem como é que se conseguem orientar e alimentar sem visão, seja pelo tato ou pelo olfato. Provavelmente vamos ter copos entornados”, desabafa.
 
A proposta para um jantar totalmente às escuras tem fins solidários, mas também sensoriais. Aprender a viver com as dificuldades dos outros, em nome da inclusão e aproveitar para alertar consciências para os direitos das pessoas com deficiência.
 
Para chegar ao restaurante Burro Velho, não precisa de perguntar, ou sequer indagar. É mesmo na cerca do Mosteiro da Batalha onde o negrume dará as boas vindas à primeira degustação da noite, provada com vendas nos olhos. 
 
O Burro Velho é um dos restaurantes mais cotados na avaliação dos clientes e guarda uma generosa adega, entre os quais os vinhos da Quinta do Ribeiro Santo produzidos no Dão pelo enólogo Carlos Lucas, que também estão disponíveis na garrafeira.

 

Redação | Revista de Vinhos

Partilhar
Voltar