Voltar

Sector do Vinho contra as políticas anti-álcool

13 Fevereiro, 2013 02:40 | Revista de Vinhos

As principais associações do sector do vinho acabaram de assinar uma Declaração de Princípios cujo teor está frontalmente contra as medidas anti álcool que têm sido faladas na imprensa.


 



ACIBEV, AEVP, ANDOVI, CAP e FENADEGAS foram as associações que, representando o sector do vinho, se insurgiram contra as medidas preconizadas pelo governo. Entre as medidas está a redução da taxa máxima de álcool para 0,2 gramas por litro de sangue (em vez dos actuais 0,5 gramas) no caso dos novos condutores e dos motoristas de transporte de passageiros, de mercadorias perigosas e de emergência. Ora, segundo um comunicado conjunto emitido na referida Declaração de Princípios, estas associações reclamam, logo a abrir, que as “propostas de medidas restritivas poderão gravemente prejudicar o sector e a cultura do vinho em Portugal”. Sector esse que “conta com 240 mil hectares de superfície vitícola, representando mais de 200 mil postos de trabalho”. O comunicado, que inclui 6 pontos, indica ainda que “a produção de vinho é um importante instrumento para a manutenção das comunidades rurais e ordenamento do território”. O comunicado termina assim este ponto: “rejeitamos assim medidas legislativas que, sem evidência científica, possam pôr em causa a sustentabilidade económica e social do Sector”.


Mas o vinho é ainda “uma parte integrante da vida e cultura Europeias e é apreciado por milhões de pessoas na Europa e no mundo”. O comunicado enfatiza assim que o “sector não apoia qualquer medida legislativa que ataque o consumo de álcool per si e não os comportamentos de consumo de risco”.


E há bases, diz o comunicado, para esta afirmação. “Um estudo recente da OMS Europa, chegou à conclusão que os países nórdicos que aplicam há vários anos políticas restritivas (…) apresentam níveis de consumo elevados e perigosos de álcool, em muito superiores aos dos países do Sul da Europa”.


Os últimos pontos referem o comportamento responsável do sector do vinho no apoio ao consumo moderado e à responsabilidade social (vide o programa Win in Moderation e a auto-regulação na publicidade, por exemplo). E o comunicado termina com um apelo à “sensibilização, formação e educação de todos os intervenientes”.


Esta Declaração de Princípios foi emitida durante a 3ª Conferência do Vinho Com Moderação, subordinada ao tema “Wine In Moderation – Um Compromisso com a cultura de Moderação”. O vento decorreu no Porto.

Escrever novo comentário
0 Comentário(s)
Explore
© 2016 Revista de Vinhos
Todos os direitos reservados. Política de Privacidade
Media Capital Edições e Prisa Revistas

Ao navegar neste site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informaçõesAceitar

Os cookies são importantes para o correto funcionamento de um site. Para melhorar a sua experiência, o site Revista de Vinhos utiliza cookies para lembrar detalhes de início de sessão, recolher estatísticas para optimizar a funcionalidade do site e apresentar conteúdo de acordo com os seus interesses. Caso clique em Aceitar ou se continuar a utilizar este site sem alterar as suas configurações de cookies, está a consentir com a utilização dos mesmos durante a sua navegação no nosso site.

Fechar